BLOG

Museus, galerias e feiras fazem de Curitiba um destino cultural

Conheça Curitiba

Com apoio da equipe do Curitiba Convention & Visitors Bureau, responsáveis pelo Curta Curitiba, o repórter Felipe Mortara e o fotógrafo Roman Nemec vieram à capital paranaense para saber porque nossa cidade é reconhecida pela arte e cultura. Confira a matéria publicada por eles na Folha de São Paulo.

Curitiba se firma como destino cultural

Conhecida por abrigar boas soluções de planejamento urbano, a capital paranaense tem chamado a atenção dos turistas por sua cena cultural. Galerias, museus, feiras e novos restaurantes reforçam a vocação da cidade para a gastronomia e as artes.

Um exemplo disso será a abertura, em 18 de outubro, da Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba, a segunda maior do tipo no país. O evento, que comemora 25 anos, terá como sede principal o Museu Oscar Niemeyer, um dos principais atrativos turísticos de Curitiba. Mas a mostra deve se espalhar por galerias e chegar até a terminais de ônibus.

MON credito CCVB-min

Do lado de fora dos museus, a cidade também mostra sua veia artística. Grafites dão vida aos muros do centro.

Na rua São Francisco e no largo do Paço é possível ver trabalhos de artistas locais como Rimon Guimarães, Maciel e Felas. Uma imensa tulipa pintada pela artista suíça Mona Caron colore uma empena na praça de Bolso do Ciclista.

A região, juntamente com o com o bairro do Batel, reúne atrações de arte e gastronomia, e é ideal para um passeio a pé.

Uma sugestão para começar o roteiro é a galeria Soma. Localizada no número 2.137 na Rua Brigadeiro Franco, tem exibições de novos artistas regionais e se estabeleceu como um espaço de experimentações.

Saindo de lá, o turista pode seguir por nove minutos pela Rua Comendador Araújo até a Alameda Presidente Taunay. Lá fica o Lucca Café, o mais premiado da cidade e um ótimo local para uma parada.

Logo ao lado, a SIM Galeria ocupa uma casa de esquina com salas repletas de exibições temporárias de artistas contemporâneos nacionais e estrangeiros.

Paralela, a rua Coronel Dulcídio termina na praça da Espanha, onde há show e restaurante como o Fabiano Marcolini Alimentari, que faz pastas frescas, e o Officina Restô Bar, conhecido pelos drinques.

A 600 metros dali, na rua Saldanha Marinho 1.220, fica a galeria Ponto de Fuga, um espaço com curadoria de jovens paranaenses. À noite, no fundo da casa funciona o bar Ginger, escondido por uma cortina. O bar secreto tem senha para entrar, que pode ser pedida no Facebook e no Instagram.

No Largo da Ordem, onde aos domingos acontece uma feira de comida e artesanato, a Galeria Airez dedica-se a artistas fotográficos, de vídeo e novas mídias digitais. O espaço conta com mostras de novos nomes de todo o país, além de bate-papos.

A matéria completa você encontra na Folha de São Paulo.

Data: 16/08/2018

Fonte: Folha de São Paulo