BLOG

Exposições nos espaços culturais de Curitiba

Passeios e atrativos

Confira algumas das exposições nos espaços culturais de Curitiba que reabriram. Todas as exposições podem ser visitadas com entrada gratuita.

Gravuras, colagens, cultura asiática, máscaras africanas e ilustrações regionais são algumas das exposições nos espaços culturais da capital paranaense.

 

MUMA

A exposição “O Silêncio e a Eroticidade da Gravura” no Museu Municipal de Arte (MUMA) traz gravuras em metal, litogravuras, xilogravuras, além de monoprints e fotogravuras da artista plástica Uiara Bartira, uma das maiores gravuristas do Paraná. A exposição apresenta 150 obras, englobando todas as diferentes fases dos 40 anos de carreira da artista.

Bartira é curitibana e estudou pintura com Fernando Calderari, outro grande nome da arte paranaense. É formada em Pintura pela Escola de Música e Belas Artes (Embap), e se especializou em Nova Iorque.

Além da exposição de Bartira, também é possível aproveitar as exposições “O Sentido do Olhar”, com leituras táteis e criações de Estela Sandrini, e “Pelo Direito de Amar Monstros”, exposição de arte digital de Luciana Bastos Siebert. A entrada é gratuita e o uso de máscara é obrigatório.

Foto: Izabela Milita

 

Serviço:
O Silêncio e a Eroticidade da Gravura
MUMA – República Argentina, 3430 – Portão
Até 10 de novembro
De terça-feira a domingo, das 10h às 19h

SOLAR DO BARÃO

O Centro Cultural Solar do Barão apresenta diversas opções de exposições artísticas. No Museu da Gravura, localizado dentro do Solar, está a mostra “O Ilusionista”, do artista plástico Pedro Goria. A exposição é uma retrospectiva do últimos 20 anos da carreira do desenhista e pintor paulista. Ainda no Museu da Gravura, se encontra a exposição “A Imagem Retroalimentada”. São 28 trabalhos dos artistas Alan Amorim, Bonju Coelho e Mário da Alencar. As criações usam colagem e outras alternativas estéticas, além de trazer novo sentido a tradicionais técnicas de impressão. As exposições do Museu da Gravura estão abertas de terça a domingo, das 12h às 18h.

Já na Gibiteca, também no Solar, é possível conferir a exposição “O Álbum do Zequinha” em homenagem ao palhaço criado em 1929 que estampava as Balas Zequinha. Na mostra, estão presentes desde figurinhas icônicas dos anos 1970 e 1980, até esboços atuais, como Zequinha em home office ou tomando vacina. A entrada é gratuita e a visitação ocorre de terça a sábado, das 12h às 18h.

Foto: Divulgação

 

Serviço:
Solar do Barão
Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 533 – Centro
Livre para todos os públicos
Entrada gratuita

MON

O Museu Oscar Niemeyer também conta com exposições em cartaz dos mais diversos temas, como África, Ásia e Luz, por exemplo. Dentro do universo oriental, a exposição “O Mundo Mágico dos Ningyos” apresenta uma coleção de bonecos japoneses. Eles representam longevidade, saúde, além de fertilidade aos recém-nascidos na cultura nipônica e atravessam 200 anos da história do país. Também há a exposição “Ásia: A Terra, Os Homens, Os Deuses”, trazendo diversidade de peças da Índia, Paquistão e Afeganistão, assim como China e Japão.

A exposição “África, Mãe de Todos Nós: Conexão Entre Mundos” reúne uma coleção de 20 máscaras elaboradas por artistas dos povos escravizados na América, como os punu, igbo, baulê e iorubá, por exemplo. Por fim, a mostra “Luz = Matéria” apresenta uma seleção de obras do acervo do MON que têm como ponto comum a luz de um lado e a materialidade de outro.

O MON fica aberto ao público de terça a domingo, das 10h às 18h. Os ingressos custam R$20 inteira e R$10 meia-entrada. Nas quartas-feiras, a entrada é gratuita.

Foto: Divulgação

 

Serviço: 
Museu Oscar Niemeyer
Rua Marechal Hermes, 999 – Centro Cívico
(41) 3350 4400
museuoscarniemeyer.org.br

Fonte: Gazeta do Povo

Veja Também