BLOG

Festival de Carne de Onça completa 5 anos

Gastronomia

O Festival de Carne de Onça 2021 comemora 5 anos de conquista histórica

Servida na maioria dos bares e botecos de Curitiba, a famosa Carne de Onça é tradição há mais de 80 anos. Em 2021, o prato está completando cinco anos como Patrimônio Cultural Imaterial de Curitiba.

Para comemorar a data, a Curitiba Honesta, portal de gastronomia que realizou as pesquisas para elevar o prato a patrimônio, promove o 5º Festival de Carne de Onça, de 21 de setembro a 10 de outubro. Participam 30 bares da cidade, servindo suas versões do tradicional petisco ao valor fixo de R$19 a porção.

Segundo Sérgio Medeiros, editor do portal Curitiba Honesta, “o objetivo do festival é principalmente ajudar o setor de gastronomia em sua retomada e cada vez mais fortalecer a carne de onça como nosso patrimônio cultural”. A Curitiba Honesta é responsável por outros festivais gastronômicos, entre eles o Festival do Pão com Bolinho, Circuito da Sanduíche, Festival do Pêéffe e Circuito de Pizzas.

A Carne de Onça lembra três receitas internacionais: o Hackepeter alemão, o Steak Tartare francês e o Quibe Cru libanês. Porém, como é servido em Curitiba, é algo próprio da cidade. A iguaria curitibana é composta de uma fatia de broa preta, coberta com carne bovina moída, cebola branca cortada, cebolinha verde picada, temperada com sal, pimenta do reino e regada com azeite de oliva.

No Festival, cada cozinheiro traz sua versão, com temperos e ingredientes que agregam sabores sem tirar a essência do prato. O 5º Festival de Carne de Onça tem patrocínio da Gold Food Service, Roots Cerveja Artesanal e o Apoio do Instituto de Turismo de Curitiba, Curta Curitiba e Abrasel-PR.

Foto: Divulgação

ORIGEM DA “CARNE DE ONÇA”

A carne de onça tornou-se Patrimônio Cultural e Imaterial de Curitiba em setembro de 2016. A pesquisa e encaminhamento, feitos por Sérgio Medeiros, permitiu a descoberta da real história da carne de onça.

Na década de 40, existia um time que foi várias vezes campeão paranaense, o Britânia. Seu diretor era Criatiano Schimidt, que além do time, era dono do bar Toca do Tatu. Para comemorar as vitórias do time, Schimidt fazia uma baciada de carne crua e colocava sobre fatias de broa, junto com cebola e cebolinha picadas, e servia para os jogadores.

Um dia, Duia, o goleiro, reclamou: “Poxa, Schimidt, você só serve essa carne aí que nem onça come!”. Pronto! Estava criado o nome do petisco que todos os clientes da Toca do Tatu começaram a pedir e que hoje é servido nos bares da cidade.

SERVIÇO

5º Festival de Carne de Onça de Curitiba

Data: 21 de setembro a 10 de outubro de 2021

Informações: www.curitibahonesta.com.br

Facebook: https://www.facebook.com/curitibahonesta

Fonte: Tribuna do Paraná

Veja Também